PIGMALIÃOesculturaquemexe

O Pigmalião Escultura Que Mexe é um coletivo de artistas que encontrou no teatro de bonecos o veículo ideal para desenvolver trabalhos no limite entre as Artes Cênicas e as Artes Plásticas.

 

Criado em 2007, o grupo sempre procurou desenvolver espetáculos com profundidade conceitual e filosófica. A marionete de fios, a relação do ator com o boneco e o Teatro Visual são seus principais focos. Na construção contínua de sua identidade, o Pigmalião busca o reconhecimento do teatro de bonecos na produção artística contemporânea.



TRAJETÓRIA

2007: Venceu o 8º Festival de Cenas Curtas do Galpão Cine Horto com a cena “O Presente”.


2008: Participou do 9º FIT-BH, com a intervenção urbana O Mendigo Marrom – uma marionete de fios de 4,5 metros de altura.


2009: Produziu o espetáculo “Seu Geraldo, Voz e Violão” e “Seu Geraldo em: O Caso Deu-se Como Eu Canto”, dois musicais onde os personagens improvisam em contato direto com a platéia.


2010: Apresentou no Festival Internacional de Teatro de Bonecos de Belo Horizonte a intervenção “Bira e Bedé”, com bonecos habitáveis que brincam com o cotidiano do público desavisado.


2011: Apresentou “Bira e Bedé Esperando”, uma adaptação de Esperando Godot de Samel Beckett, no Projeto “Teatro Visual: o que ainda não tínhamos visto”, na Funarte de Brasília. No mesmo lugar, estreou o espetáculo “A Filosofia na Alcova”, de Marquês de Sade. Apresentou-se com a versão cena curta de “A Filosofia na Alcova” no Festival de Formes Brèves Marionnettiques Orbis Pictus, na cidade de Reims, na França. A estréia em Belo Horizonte se deu em setembro no Galpão Cine Horto, com posterior apresentação no SESC Palladium. O mesmo espetáculo foi indicado ao Prêmio SESC/Sated 2011 de Melhor Espetáculo e ganhou o troféu de Melhor Figurino.


2012: Participou em março do Evento FIT, com o espetáculo “A Filosofia na Alcova” no Teatro Marília (Belo Horizonte) e foi selecionado com o mesmo espetáculo para apresentar-se em julho no Festival de Inverno de Ouro Preto e em agosto no Teatro Oi Futuro Klauss Vianna (Belo Horizonte).


2013: Apresentou em maio o espetáculo "Seu Geraldo Voz e Violão" no Festival Formes Breves Marionnettiques Orbis Pictus, em Reims e Lille, na França. Em julho, por escolha da curadora Brigitte Mounier, participou com o espetáculo “A Filosofia na Alcova” e a oficina "Bonecos Incendiários" do Festival Le Manifeste, em Grande-Synthe, também na França. Em setembro, o grupo ministrou a oficina "A Construção de Pigmalião" no World Stage Design 2013 em Cardiff, Pais de Gales.  No mesmo mês, participou do 14. Festival de Cenas Curtas do Galpão Cine Horto, em Belo Horizonte, sendo uma das cenas mais votadas do Festival. 

 

2014: Em janeiro ministrou a "Oficina Intensiva de Construção e Manipulação de Marionetes de Fio" com o apoio da UNIMA. Em abril, apresentou o espetáculo "A Filosofia na Alcova"  no 19. MITEU - MOSTRA INTERNACIONAL DE TEATRO UNIVERSITARIO DE OURENSE na Espanha e participou no dia 4 de maio com a cena curta "O Quadro de uma Família" da  25. Fira de Titelles de Lleida, também em terras espanholas. Nesta última, recebeu os prêmios Drac D´or de Proposta Inovadora e Drac D´or Melhor Espetáculo pelo júri dos Festivais Internacionais.  A mesma cena curta se apresentou na programação do FIT BH - Festival Internacional de Teatro Palco e Rua de Belo Horizonte, nos dias 17 e 18 de maio.  Os espetáculos "Seu Geraldo Voz e Violão" e "Bira e Bedé"  participaram do Circuito Usiminas de Cultura no interior de Minas Gerais, aonde o grupo também levou as suas oficinas de construção e manipulação de bonecos. A Trupe da Corda Preta fez a sua estréia na televisão participando da Campanha da Globo de São João do Nordeste e logo depois foi para os palcos com o edital Cena Música. No dia 10 de setembro o grupo estreoou seu novo espetáculo "O Quadro de Todos Juntos" no Festival Internacional de Teatro de Bonecos de Belo Horizonte, fazendo posterior temporada no Galpão Cine Horto. Em novembro,  recebeu o Prêmio de Melhor Breve Cena pelo júri técnico e Prêmio Especial pela manipulação dos bonecos  com a cena "O Quadro de uma Família" no Festival Breves Cenas de Teatro de Manaus 6ª edição.

 

2015: Em janeiro, ministrou a "II Oficina Intensiva de Construção e Manipulação de Marionetes de Fio" com o apoio da UNIMA. Realizou turnê na Europa em Maio, onde participou de Festivais em Porto/Portugal (Fazer a Festa), Segóvia/Espanha (Titirimundi), Redondela/Espanha (Festival Internacional de Redondela) e ministrou a oficina Pifferaio de Hamelin na região da Toscana/Itália (Festival San Quirico Sonato). Em setembro participou do Festival Mundial de Teatro de Marionetes de Charleville-Mezières, com os espetáculos O Quadro de Todos Juntos, A Filosofia na Alcova e Bira e Bedé. Em dezembro iniciou a Circulação da Mostra Pigmalião Escultura que Mexe com o patrocínio da Petrobras, através da LMIC de Belo Horizonte.

2016: Em janeiro ministrou a III Oficina Intensiva de Construção e Manipulação de Marionetes de Fio, com o apoio da UNIMA.  Realizou a temporada de estreia do seu novo espetáculo [Alguém] em março, através do Prêmio Estímulo da Fundação Clóvis Salgado. Em maio realizou turnê pela Europa, participando de Festivais na Espanha (Fira de Titelles de Lleida, Titirimundi e XVIII Festival Internacional de teatro con títeres, objetos y visual de Granada), Suiça (Figurentheater), Orbis Pictus (França) e ministrando a oficina "Banchetto Antropofagico Gourmet" com o apoio da Camera D´aria em Bologna, na Itália. Foi um dos 10 grupos de teatro mais votados no concurso "Expedição Cultural", realizado pelo Estado de Minas. Realizou o projeto Gigantéia através do Fundo Estadual de Cultura, construindo cortejos em cidades do interior de Minas Gerais.

2017: Em janeiro ministrou a 4ª edição da Oficina Intensiva de Construção e Manipulação de Marionetes de Fio.  Circulou com o espetáculo “O Quadro de Todos Juntos” por 41 cidades brasileiras através do projeto Palco Giratório, do SESC, ministrando também a Oficina A Relação Ator e Boneco.  Em setembro estreou  "Macunaíma Gourmet", espetáculo comemorativo de 10 anos de existência do grupo. 

2018: Ministrou a oficina "Fábulas Antropomórficas para os tempos atuais: de Esopo à George Orwell", em Madrid, Espanha e a 5ª Oficina Intensiva de Construção e Manipulação de Marionetes de Fio em sua sede, em Belo Horizonte, Brasil. Participou em maio da 9ª edição do Festival Orbis Pictus, em Reims, na França, com a cena curta "Brésil". Apresentou o espetáculo "Mordaz" e estreou a versão longa de "Brésil" no Théâtre Manège (Reims/França), dentro da programação do Festival Métacorpus organizado pelo Jardin Parallèle.

2019:  Em janeiro ministrou a 6ª edição da Oficina Intensiva de Construção e Manipulação de Marionetes de Fio. Em abril participou com “O Quadro De Todos Juntos” da Mostra Oficial do Festival de Teatro de Curitiba. Fez temporada de “O Quadro de Todos Juntos” no Sesc Consolação nos meses de junho e julho. Apresentou “A Filosofia na Alcova” no Festival Escenica promovido pela Secretaria de Cultura México e Macunaïma Gourmet no Festival Mundial de Teatro de Marionetes de Charleville-Mézières, na França.

 

2020:  Em janeiro ministrou a 7ª edição da Oficina Intensiva de Construção e Manipulação de Marionetes de Fio. Promoveu o projeto "Brasil: Versão Brasileira" com espetáculo e oficinas online e participou de diversas oficinas e lives durante o período de contenção da pandemia de Covid19.

2021: Estreou a cena curta em formato audiovisual "Fábulas Antropofágicas para Dias Fascistas: A Raposa no Divã".  Participou da Virada Cultura de Belo Horizonte com a intervenção O invisível não Existe, pendurando o boneco gigante Dudrin no viaduto Santa Tereza. Participou do Festival Teatro Mínimo no Teatro da Cidade.  Lançou um edital para a Ocupação do seu espaço.